Manual Da Residência Em Cardiologia
Manual Da Residência Em Cardiologia

Assim, a duração do treinamento para se tornar um cardiologista não é uniforme entre os países, e não existe um padrão definitivo da prática. Isso depende não somente da quantidade total de conhecimento e habilidades práticas que o profissional necessita adquirir, mas também das condições sociais e econômicas do país, uma vez que um maior tempo em treinamento requer mais gastos com educação. É possível que residentes médicos no Brasil passem mais tempo em serviço durante os dois anos de residência e cuidem de um número maior de pacientes. Por outro lado, o conhecimento em cardiologia aumentou drasticamente nas últimas décadas16 e é pouco provável que um residente em cardiologia no Brasil domine todo o conhecimento e habilidades necessárias em um período de dois anos.

Trata-se da quarta subespecialidade mais comum no país, atrás apenas de Anestesiologia, Medicina do Trabalho e Ortopedia e Traumatologia – não estamos contando aqui as áreas como Clínica Médica, Pediatria, Cirurgia Geral nem Ginecologia e Obstetrícia). Para ajudar a gente nessa missão, conversamos com o Douglas Francisco que terminou a sua residência médica em Cardiologia no Instituto Dante Pazzanese em fevereiro de 2021. Além disso, é uma das áreas mais essenciais da medicina – você pode conhecer pessoas que nunca precisarão de um cirurgião plástico, por exemplo, mas é difícil conhecer alguém que nunca precisará dos serviços de um cardiologista. Mesmo que você vá se especializar em um dos braços desse campo, precisa conhecer todos tanto para passar pela residência quanto para ser um bom profissional – e isso requer versatilidade da sua parte. Dentro desta área, ele pode escolher se especializar em doenças mais comuns, como hipertensão arterial, dislipidemias e coronariopatias. Pode, também, escolher áreas de maior complexidade, como a de transplantes ou o cardiointensivismo.

Consequentemente, existe uma discussão no país em mudar o programa de residência para um ano com foco em clínica médica (em vez dos atuais dois anos, assim como na França e na Espanha) mais três anos em cardiologia. Uma vez que as exigências da CNRM são atendidas, cada programa tem a flexibilidade para adaptar o programa de acordo com a realidade local. Em cardiologia, a CNRM exige que o residente passe no mínimo metade do tempo de treinamento no cuidado do paciente internado, nos serviços de emergência, em enfermarias ou unidades coronarianas. Aproximadamente um quinto do período de residência deve ser dedicado a ambulatórios, e no mínimo 5% do tempo aprendendo métodos diagnósticos. Cardiopatia congênita e cuidado no pós-operatório também são considerados estágios obrigatórios a todos os residentes em cardiologia.18 Vale ressaltar que, assim como na América do Norte e em países europeus, os programas de residência em cardiologia no Brasil planejam implementar um “currículo por competências”. Para se tornar um cardiologista no Brasil, o primeiro passo é se formar em Medicina.

Como é a Residência de cardiologia?

Um cardiologista que decidir atuar na área de diagnóstico provavelmente – a depender da sub que ele escolher, já que dentro desta área temos várias – terá quase o mesmo tempo de formação que um intervencionista ou apenas um ano a menos. Um cardiologista intervencionista passará por 12 anos de formação se somarmos o tempo da faculdade e o da residência. São 6 de faculdade, 2 de Clínica Médica (pré-requisito), 2 de Cardiologia e 2 de Intervencionismo.

A residência aborda as principais doenças cardiovasculares, valvulares, arrítmicas, entre outras. Além disso atua, em nível ambulatorial na prevenção de doenças cardíacas, controle de pacientes crônicos, acompanhamento de pacientes em risco de morte súbita, etc. No tocante à terapia intensiva, o residentes atua em unidades coronarianas, de cuidado intensivo a pacientes que apresentam síndromes coronarianas agudas, além da unidade de pós-operatório cardíaco, que visa os cuidados intensivos em pacientes recém operados do coração. O profissional cardiologista é bem versátil, podendo atuar tanto a nível ambulatorial, pacientes internados em enfermaria e pacientes criticamente enfermos em unidades de terapia intensiva. A residência aborda as principais doenças cardiovasculares, valvares, arritmicas, entre outras.

Dia Mundial Da Saúde: A Importância De Comunicar Saúde Por Meio De Livros

Para melhor compreender como o conhecimento é adquirido, deve-se observar também os estágios que os residentes devem completar. O setor governamental responsável pela coordenação do treinamento médico em todo o Brasil é o Ministério da Educação (com participação importante do Ministério da Saúde), e a CNRM. Sendo assim, não são avaliados no Edital da Prova do TEC para habilitar a inscrição do candidato ao concurso. Entretanto, qualquer candidato nessa situação que comprove efetiva atuação hospitalar em Cardiologia Clínica com pelo menos 12 anos de experiência na especialidade, pode pleitear sua inscrição à Prova do TEC.

Residência Médica: Ensino E Avaliação Das Competências 1ª Edição

Um profissional pode trabalhar na saúde pública, ter um consultório particular, atender um ambulatório hospitalar e internar pacientes. Aqui falaremos a respeito do dia a dia de um residente da área, suas subespecialidades mais importantes, as habilidades necessárias para se tornar um bom cardiologista e, não menos importante, como anda seu mercado de trabalho. Ser referência nacional em atenção cardiovascular, com excelência na assistência, ensino e pesquisa, desenvolvimento tecnológico e na gestão em saúde, ser centro de formulação de políticas para a prevenção e terapia cardiovascular no país. A Cardiologia é a especialidade com mais estudos médicos publicados e de avanços fantásticos nos últimos tempos, nossas diretrizes estão em constante atualização, tornando o cardiologista um profissional que mistura o clássico da semiologia com o contemporâneo das novas descobertas. A carga horária mínima, nesse período, é de 60 horas semanais, sendo que 10-20% deve ser preenchida com atividades teóricas.

Sociedade Brasileira De Cardiologia Sbc:

Por exemplo, os cardiologistas clínicos são profissionais que possuem maior contato próximo com o paciente e sua vida, sendo muitas vezes o “médico da família inteira”, recebendo os indivíduos no consultório, atendendo o telefone por demanda dos pacientes algumas vezes durante o dia. O Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia é considerado hoje em dia, um dos berços da cirurgia cardiovascular cardiologista em Brasilia brasileira, além de ser um centro acadêmico de excelência já que é vinculado à Universidade de São Paulo (USP-SP). Pra você que está de olho em uma das vagas em São Paulo, o Dante Pazzanese fica alí pertinho do Parque Ibirapuera. Esse valor varia muito de acordo com a subespecialidade do cardiologista, sua carga horária, o número de locais em que ele trabalha e sua região de atuação.

Outras tecnologias dessa subespecialidade nos dias atuais são stents farmacológicos e ultrassom intracoronariano. A rotina desse profissional pode ser muito dinâmica ou mais “monótona” para alguns. Isso varia diretamente do setor de atuação e do ritmo de vida que cada um deseja. Em 1943, foi fundada a Sociedade Brasileira de Cardiologia, criada por estudantes do 3º Curso do Serviço de Cardiologia do Hospital Municipal de São Paulo. Durante muitos e muitos anos, a Cardiologia era “apenas” um ramo da Clínica Médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.