Cuidados Com O Silicone
Cuidados Com O Silicone

Como resultado, a aplicação desse material em uma pessoa oferece um altíssimo risco de causar irritação, inflamação e infecção, prejudicando tanto os resultados prometidos pelo procedimento quanto a saúde e a segurança do paciente. Além disso, por se tratar de um líquido, ele tende a se espalhar pelo corpo — diferente do silicone apropriado para próteses mamárias e glúteas, que tem a consistência de gel e permanece no mesmo lugar, mesmo em caso de ruptura. Contudo, por outro lado, como explica o médico, há relatos de pacientes que, ao serem submetidos à retirada das próteses, observam melhora ou resolução de sintomas.

“As mulheres não devem entrar em pânico, mas há algo acontecendo e é diferente do que as mulheres ouviram nas últimas duas décadas.”, disse Diana Zuckerman, presidente do Centro Nacional de Pesquisa em Saúde, ao DailyMail.com. Com o silicone, vale o alerta de que é necessário realizar o autoexame de mama e a mamografia todos os anos, após os 40 anos. Em caso de qualquer sinal de anormalidade ou sintomas, procure seu médico.

Câncer De Mama

“Quando eu fui colocar o silicone ninguém me alertou sobre os riscos, foi tudo lindo, uma história linda. “Tem algo mais sério nisso tudo, porque não é só um silicone que pode fazer uma mulher feliz. As mulheres não tem que levar em conta que é necessário comprar dois pedaços de plástico para ficar bonita, não traz nenhum benefício e eu sou a prova disso”, desabafa Mirlene. A partir de teleconsultas com a médica e se inspirando na história, decidiu fazer o explante.

A síndrome ASIA é uma alteração autoimune que pode ser desencadeada por adjuvantes, ou seja, substâncias "estranhas" para o organismo que podem resultar em um processo inflamatório crônico em pessoas que já possuem predisposição para doenças autoimunes. Dentre os adjuvantes que podem favorecer o desenvolvimento dessa síndrome estão o silicone, hidróxido de alumínio, mercúrio, óleo mineral e titânio, por exemplo. O desencadeamento do problema pode ocorrer pela rugosidade do implante ou mesmo pela cirurgia em si, já que a prótese é um corpo estranho, que quando implantado pode levar bactérias para o organismo, induzindo uma resposta do sistema imune. Há várias opções de próteses no mercado, que são avaliadas pelo cirurgião antes da colocação.

Que mal o silicone pode causar?

Silicone: O Que É, Para Que Serve E Quais São Seus Impactos Ambientais

Marcele diz que sempre foi vaidosa e a imagem que via no espelho não a deixava muito feliz. Ele achou que o preenchimento das mamas com silicone resolveria meu caso. Na publicação, ela declara ter procurado ajuda médica, e recebeu a seguinte resposta. “Disseram que era tudo coisa da minha cabeça, essa tal doença prótese de silicone do silicone, e que sim estava com contratura, mas era SÓ TROCAR de próteses, porque eu não ficaria bonita sem elas. Neste momento eu tive a CERTEZA que eu não precisava mais delas, que eu não iria passar pela mesma pressão que passei com 20 anos e que eu queria ter vida e saúde”, revelou a influencer.

Os implantes de silicone também foram associados a um maior risco de complicações cirúrgicas em comparação com soluções salinas. Cerca de 5% desenvolveram contratura capsular (enrijecimento da cápsula em torno da prótese), em comparação com 2,8% das mulheres com implantes salinos. Mas enquanto não há comprovação, há dois meses a biomédica Carolina Almeida, 27, também decidiu retirar as próteses de silicone depois de quatro anos com os implantes. A decisão não foi fácil, ter as próteses sempre foi um sonho para a influenciadora digital, que aos 23 anos ganhou de presente do pai a cirurgia que por toda a vida achou que seria um boost para a autoestima. Para minimizar o risco de infecção, ruptura da prótese e câncer de mama, monitore os seios após a cirurgia. Siga as instruções de cuidados posteriores de seu cirurgião e consulte um médico imediatamente se notar qualquer alteração nos seios ou na saúde em geral, especialmente se tiver sinais de infecção.

O tratamento também consiste no explante, ou seja, remoção do silicone e cápsula. O médico e pesquisador, Dr. Eduardo Fleury, radiologista e coordenador da equipe de Imaginologia Mamária do IBCC Oncologia, descobriu uma doença associada aos implantes mamários, denominada SIGBIC (granuloma induzido por silicone na cápsula). “Enquanto os implantes de silicone de superfície mais ásperas provocaram uma resposta inflamatória maior, aqueles com superfícies com rugosidade menor causaram uma reação cujo objetivo era inibir a inflamação do tecido ao redor do implante”, explica Munhoz. Segundo a cirurgiã plástica, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Anne Karoline Groth, ainda não há evidências científicas suficientes que comprovem a relação entre os sintomas descritos pelas pacientes e os implantes mamários. A médica, no entanto, reforça a importância de se estudar e estar atento ao assunto. Anne Groth é membro titular da entidade e reforça a necessidade de mais estudos a respeito do tema.

Descubra Quais São Os Riscos De Usá

“Eu decidi naquele mesmo dia que eu não iria colocar o silicone, iria fazer o explante”, explica. Porém, a micropigmentadora afirma que não foi tão fácil convencer seu médico. “Só que eu já estava decidida, falei que se eu ficasse com peito de homem não tinha problema, eu queria tirar o silicone”, relata.

É raro, mas o “acessório” pode provocar o linfoma anaplásico de grandes células . De acordo com o National Cancer Institute , a incidência desse tipo de câncer ocorre em 3 a cada 100 milhões de mulheres por ano. Segundo o FDA , dos casos da doença ocorridos nos Estados Unidos, 70% aconteceram em mulheres que colocaram a prótese por questões estéticas e 30% em pacientes pós-câncer de mama. O cirurgião plástico aponta que, muitas vezes, o diagnóstico está associado à toxicidade do silicone, que extravasa do implante sem ele estar rompido, no que é chamado de "bleeding". "É importante lembrar que é comum formar, ao redor de qualquer material implantado, uma cápsula. No caso dos implantes mamários, essa cápsula pode ficar endurecida, com deformidade visível e até causar dor", detalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.